• Home
  • Sobre o Blog
  • Fotos
  • Notícias
  • Contato
  • Chá acalma e livra os cachorros de toxinas

    Dê chá aos seus cachorros! A bebida acalma e livra o pet de toxinas. Confira mais!

    (Foto Reprodução/Google)


    chá ajuda a acalmar e livrar os cachorros de toxinas. “Chás não trazem tantos benefícios nutricionais, mas o de cranberry, por exemplo, pode ajudar em infecção urinária”, cita Ricardo Rodrigues Cabral, veterinário da Vetnil. 

    (Foto Reprodução/Google)

    A especialista Sonali Rebelo, médica veterinária do site Tendências Naturebas Pets, ainda lista outras ervas que eles podem ingerir, como erva-doce, endro, camomila e hortelã (que ajudam na digestão), além de maçã e gengibre. 

    (Foto Reprodução/Google)

    Não ofereça mate e chá verde! Para maior segurança, forneça o líquido em temperatura ambiente ou gelado, completamente sem açúcar ou adoçante e preparado no mesmo dia. 

    Fonte: Revista Meu Pet

    Dicas de coleiras para cães

    A hora do passeio é o momento mais esperado por 10 entre 10 cachorros. Afinal, que cão não gosta de sentir diversos cheiros, demarcar território ou simplesmente dar uma voltinha para queimar energia? Nesta hora dois acessórios não podem faltar, principalmente se o lugar do passeio é movimentado: a coleira e a guia. Confira a seguir algumas dicas de coleiras para cães.

    (Foto: Reprodução/Google)

    Em primeiro lugar, convém explicar a diferença entre coleira e guia. A coleira é o acessório que fica no pescoço do animal, ou em alguns casos na altura do peito, e não precisa ser retirada, pois é uma segurança para o seu cão. Já a guia é o acessório usado acoplado na coleira para guiar o cachorro durante os passeios.
    (Foto: Reprodução/Google)

    Existem diversos tipos de coleiras e guias à venda em lojas especializadas. O ideal não é comprar qualquer coleira, e sim, aquela que melhor se adapta às características de cada cão. 
    A coleira mais tradicional é aquela que envolve todo o pescoço do cachorro, como se fosse uma gargantilha. Esta é a melhor opção existente e não há contraindicações. O único cuidado que se deve tomar tem relação com o tamanho: não pode ser nem muito fina sob o risco de se romper no primeiro puxão, nem muito grossa que possa imobilizar parte dos movimentos do cão. Afinal, o acessório deve ser confortável para o cachorro, sem apertá-lo ou marcar a pele. Este tipo de coleira é adequada para qualquer raça. Ela pode ser de nylon ou couro, ter pinos ou dentes (como proteção a mordidas), entre outros enfeites. Na parte de cima, esse modelo vem com um mosquete para prender a guia. “Para conter o bicho sem o machucar ou sufocar, deixe uma folga de dois dedos entre o pescoço e a coleira”, orienta o biólogo e treinador Clarêncio Baracho, da FormaCão, que atua em adestramento de cães e mpsicologia canina (BA).
    (Foto: Reprodução/Google)
    Outra coleira existente é a chamada peitoral. Como o próprio nome já diz, o acessório é colocado na altura do peito do cão e é indicado para raças pequenas, pois evitam a fuga do bichinho. Este tipo de coleira também deve ser usado em cães que tem problemas na traqueia e que se afogam com as coleiras comuns. Para o cachorro não existe opção mais divertida: eles adoram se apoiar no peitoral durante os passeios – e é por isso que muitos adestradores não indicam o modelo para educar o cão. 
    (Foto: Reprodução/Google)

    Uma boa dica de coleira para raças de grande porte é a headcollar, também conhecida como Gentle Leader. Esta coleira se parece muito com um cabresto usado em cavalos, e é colocada no focinho e no pescoço do cão ao mesmo tempo. Este tipo de coleira é indicado para os donos que têm dificuldade em conduzir seus cães, e tem a grande vantagem de não enforcar nem machucar os cachorros. Além disso, quando é usada, nem é preciso fazer muita força para puxar o cão, pois a maioria dos animais se acostuma com o acessório rapidamente.
    (Foto: Reprodução/Google)

    Existe outro tipo de coleira existente que é o enforcador e como o próprio nome já diz, as vezes os cães acabam se machucando com ele. Portanto, não indicamos.
    Fonte: Revista Meu Pet / Cães online

    Carpa e Bulldog 'se apaixonam' e os dois não param de beijar

    O amor e a amizade no reino animal parecem não ter limites. Carrie Bredy, de 39 anos, comprou um novo peixe para seu lago, mas nem poderia imaginar que ele iria se apaixonar pelo bulldog francês da família. Frank, uma carpa de 3 anos, não para de beijar Daisy, uma bullgod francês de 7 anos.

    A dona postou um vídeo do encontro dos dois no Instagram e, ainda, no Facebook, onde muitos internautas ficaram impressionados. Em entrevista para a “ABC”, ela disse que ficou surpresa com a afinidade de dois animais tão diferentes.


    O peixe Frank e a bulldog Daisy estão encantados um com o outro (Foto: Reprodução do Facebook/ Carrie Bredy)
    “Eu não sei como isso aconteceu, mas Frank veio até ela e Daisy mergulhou o rosto para baixo e eles começaram a se beijar. A gente pensou que era uma piada ou algo por acaso, mas isso continuou o tempo todo. Eles estão atraídos um pelo outro”, disse. Carrie tem dois buldogues e mais 11 de peixes, mas Frank e Daisy são os dois únicos que ficaram amigos.




    Instagram do Bulldog: www.instagram.com/cnote76


    Fonte: Extra

    3 motivos para você brincar mais com o seu pet



    Brincar com o pet estimula a saúde física e mental do bichinho! Confira 3 motivos para vocês brincarem e estreitarem os laços ainda mais.

    (Foto Reprodução/Google)


    Brincar é uma atividade simples, mas muito importante para os pets! Te listamos apenas 3 motivos para você brincar ainda mais e, assim, favorecer a saúde física e mental do seu peludo de estimação:
    1. ESTIMULE A MENTE
    Os jogos inteligentes são oferecidos para os cachorros com o intuito de aumentar a sua capacidade de raciocínio ou entretê-los quando seus donos não estão em casa. “Os brinquedos interativos proporcionam um desafio mental superimportante, além de auxiliarem o pet a manter sua capacidade cognitiva. Por isso é essencial continuar com essas brincadeiras com animais idosos”, lembra Joice Peruzzi, especialista em comportamento animal. Mas, para isso, não é preciso comprar brinquedos caros. De acordo com o adestrador Richardson Zago, brincadeiras como procurar petiscos pela casa também estimulam a inteligência. Esse tipo de jogo serve para todas as raças e portes. Só precisa ter o petisco favorito do seu mascote e muita criatividade para escondê-lo debaixo de almofadas e móveis.  
    (Foto Reprodução/Google)

    (Foto Reprodução/Google)

    2. CORPO EM FORMA
    Que cachorro nunca brincou de pega-pega, esconde-esconde ou de pegar a bola? Todas essas brincadeiras podem parecer simples, mas contribuem para o fortalecimento e desenvolvimento da musculatura, coordenação motora, mantêm as articulações lubrificadas e dão agilidade. “Por estimularem o cão fisicamente, trazem benefícios como manutenção do peso, trabalho muscular e postura. Mas o grande ganho é comportamental, já que há liberação de serotonina, um neurotransmissor que confere sensação de bem-estar”, ensina Joice.
    (Foto Reprodução/Google)

    3. VÍNCULO COM O PET
    Qualquer tipo de jogo que envolva o homem e o cachorro acaba estreitando os laços de afeto entre ambos. Não é preciso ter um quintal espaçoso para brincar com o seu companheiro. Atividades dentro de casa com brinquedos improvisados podem melhorar muito o convívio do dono com o seu peludo de estimação. Para Joice, toda atividade que seja feita “de maneira positiva, sem assustar o animal ou forçá-lo a alguma situação que ele não queira, fortalece o vínculo com o proprietário”. Você já pensou em brincar com o seu pet usando bolas de sabão, por exemplo? Os cachorros adoram ver aquelas bolhas voando pela casa e ficam loucos para pegá-las, além de ser uma atividade em que vocês dois participam e acessível a todos os pets, independentemente de raça, idade e porte.
    (Foto Reprodução/Google)

    Fonte: Revista Meu Pet

    Voluntárias promovem 'campanha do agasalho' para animais de rua em SP


    Costureiras confeccionam roupinhas com tecidos doados por moradores. Famílias de baixa renda em Bebedouro também serão beneficiadas por ação. 

    Costureiras e protetores de animais se uniram para promover uma campanha do agasalho difrente. Batizado de "Costurando para os peludos", o projeto visa arrecadar roupas e tecidos para cães e gatos que vivem nas ruas de Bebedouro (SP), ou que sejam cuidados por famílias de baixa renda.
    A iniciativa partiu da veterinária e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Aline Galvão, que convidou as alunas do curso profissionalizante de costura para participar. Em pouco mais de um mês, 300 peças foram confeccionadas e doadas pelo grupo aos animais.
    "A gente promove campanhas em prol dos idosos, das crianças e faltava uma para animais. Muitas pessoas se uniram pelo projeto e a coisa está indo de vento em popa. Todo mundo colabora, e tem mais gente querendo se juntar. Tudo isso é muito legal", afirma.
    Equipe de voluntárias produzem roupinhas para cães de rua (Foto: Mara Penha/Arquivo Pessoal)

    O entusiasmo das voluntárias e a adesão dos moradores possibilitou, inclusive, a realização de um desfile com as roupinhas doadas pelo grupo. Na passarela, 13 cães abandonados, ou com algum tipo de deficiência, exibiram os "looks" de inverno.
    "Teve cachorrinho com boina, chapeuzinho, vestidinho. Minha caixa de e-mail está lotada de fotos das pessoas que receberam as doações, e que têm animais que nunca puderam usar uma roupinha durante o frio", diz a costureira e voluntária Mara Regina Penha.
    As doações serão recebidas até a próxima quinta-feira (30). Mas, o grupo não pensa e acabar com o projeto. A partir de 1º de julho, as costureiras continuarão trabalhando na confecção de roupinhas para serem vendidas.
    Mara explica que o dinheiro arrecadado será revertido para compra de ração, medicamentos, vacinas e cirurgias de castração aos animais que vivem nas ruas da cidade, e também de famílias que não têm condições de arcar com os custos.
    As doações de tecidos e roupinhas devem ser feitas na sede da oficina de costura do Fundo Social de Solidariedade de Bebedouro, localizado na Rua Ângelo Salvador, n.º 35, no bairro Vila Paulista.
     Roupinhas costuradas pelo grupo são doadas a cães de rua (Foto: Mara Penha/Arquivo Pessoal)

    Fonte: G1

    Cuidados ao levar os pets para as Festas Junina

    Quer levar o pet para a festa junina? Confira abaixo alguns cuidados a serem tomados antes de curtir a quermesse
    (Foto: Reprodução / Google)
    As Festas Juninas são sempre uma delícia. Arroz doce, pamonha, pipoca, paçoca, maçã do amor, pé de moleque e muitas outras receitas tradicionais da festa de São João são os atrativos para as pessoas. E os bichinhos de estimação? Como podem aproveitar o arraial?
    Comidas típicas

    A cozinha caipira, apesar de despertar o gosto dos humanos, não é adequada para os animais. O teor de gordura e de carboidratos presente nas receitas sobrecarregam o sistema digestivo dos pets, podendo causar vômitos e diarreias. "O ideal é não oferecer nenhum alimento que não faça parte da rotina do animal. Saia de casa com o pet já alimentado e leve apenas um potinho com água", ressalta Hamilton Lorena, médico-veterinário e gerente de produtos da Farmina Pet Foods.
    Outra dica é ficar de olho para que o pet não consuma o que cai no chão. Pedaços de paçoca, pipoca ou de outro quitute podem fazer mal a cães e gatos, já que o organismo deles não está preparado para o consumo de açúcares.
    Decoração

    Bandeirinhas, balões e artesanatos em palha desenham o clima da festa, mas é preciso ficar atento para que o pet não se enrosque nas decorações. Para evitar que o cão devore um chapéu de palha ou um palito de maça do amor, use a coleira e preste atenção, novamente, às coisas caídas no chão. A espiga de milho, por exemplo, pode parecer inofensiva, mas é totalmente perigosa para o organismo do cachorro. Sua ingestão pode obstruir o intestino e causar sérios danos à saúde do animal.
    Outra precaução que o dono deve ter em uma Festa Junina é com as fogueiras. O calor do fogo pode prejudicar a respiração do cão ou, até mesmo, queimá-lo, caso ele não esteja devidamente preso. A fim de evitar acidentes, prefira as quermesses realizadas com fogueiras de mentirinha para passear com seu cão.
    Brincadeiras

    Tem pescaria, corrida do saco, correio elegante e a tradicional quadrilha. Geralmente, os pets não participam dessas brincadeiras, mas vale ficar de olho no bicho para que ele não entre no meio da quadrilha e corra o risco de ser pisoteado.
    Barulho

    Além de boa comida e diversão, as comemorações dos dias de São João, São Pedro e Santo Antônio são marcadas por fogos de artifício, os famosos rojões, que assustam os pets e podem até provocar um trauma.
    Tanto o cachorro quanto o gato têm a audição aguçada: eles sentem mais o barulho do que os humanos. Para o felino, o problema é ainda maior, já que suas orelhas afuniladas giram em até 180° a fim de captar e amplificar os sons.
    Para abafar os ruídos, uma alternativa é colocar um algodão no ouvido dos pets. Além disso, se o cão está acostumado a ficar no quintal, traga-o para dentro de casa e o acomode em um cômodo fechado e bem confortável. "Os pets mudam totalmente o comportamento quando estão sujeitos à uma situação amedrontadora e por esse motivo as fugas são muito frequentes", explica Hamilton. O veterinário também alerta sobre deixar o cão preso por uma coleira: "ao tentar escapar, ele poderá ter sérios problemas cardiorrespiratórios e provocar até seu próprio enforcamento".
    No caso dos felinos, o cuidado é redobrado. Gatos tem mais facilidade de fugir do que cachorros, ainda que também estejam presos dentro da residência. Então, procure fazer uma coleira com plaquinha de identificação que contenha o nome do animal e do dono, além de dois telefones atualizados.
    Frio

    Junho é o mês que inicia o inverno e em grande parte do Brasil o frio chega com vontade. Geralmente em locais abertos, as festas juninas pedem uma roupa mais quente e para o pet não é diferente. Se ele for ficar exposto ao tempo, vale investir numa roupinha mais quentinha para que ele participe da festa com conforto.
    Tomados todos esses cuidados, pode começar o arraiá!
    (Foto: Reprodução / Google)

    Leitor da Semana: Chulé - @diariodochule

    A foto escolhida deste domingo para postar no Instagram, no Facebook e no Blog, foi a do Chulé! A mãe dele, nossa seguidora Barbara,  enviou as fotos e contou um pouquinho sobre o Chulé ❤️ 

    "Eu e meu marido queríamos adotar um cachorro, mas eu tinha medo pois sempre tive muita alergia a pó e pêlos. Ficávamos olhando os cachorrinhos na internet e nas feiras de adoção e morrendo de vontade. Até que um dia vimos uns filhotinhos no site Procure 1 amigo, e eu achei a coisa mais fofa. Brinquei com meu marido que queria aquele cão bege da foto e sai de casa pra ir estudar. Eu estava só brincando, claro. Duas horas depois, quando eu voltei, aquele cachorrinho da internet estava no meu sofá. Foi amor à primeira vista! Eu não estava esperando que o Zeh iria buscá-lo, mas ele foi."


    Barbara contou que quando o chulé chegou em casa ele estava cheio de pulgas. "Demos um banho nele e a partir daí nossa rotina mudou completamente, pra melhor. E eu nunca tive alergia aos seus pêlos."

    Chulé ama sapatos! Sempre que a Barbara chega em casa ele só sai do pé dela, depois que ela tiro o sapato e ele pega pra brincar. "Foi sem querer, mas o nome chulé combinou muito com o fato dele amar tanto sapatos hehe."




    O Chulé é vira lata, tem 1 ano e 4 meses, e ama brincar com outros cachorros. 

    Obrigada Barbara por ter enviado as fotos! - www.instagram.com/diariodochule

    Se você quer ver o seu pet aqui no blog, no Instagram e no Facebook do @omundoanimal, envie as fotos e todas as informações por Direct (mensagem direta) no aplicativo do Instagram ou marque a #aquinomd! Lembrando que as fotos devem estar com uma qualidade de imagem boa e é claro, seguir nosso Instagram - www.instagram.com/omundoanimal


    Beijos,

    5 curiosidades sobre gatos

    Os gatos são os animais de estimação que mais intrigam, já que há muitos mistérios ao redor do felino, como por exemplo, o de ter sete vidas. Entretanto, as atitudes do bichano podem ser facilmente desvendáveis, basta o dono do pet ficar atento ao comportamento e conhecer um pouco mais sobre como funciona o organismo do animal. 

    (Foto: Reprodução / Freepik) 


    Andressa Felisbino, veterinária da DrogaVET – empresa pioneira no ramo e a maior rede de farmácias de manipulação veterinária no Brasil –, acaba de elencar cinco curiosidades sobre os gatos, que podem, inclusive, ajudar os proprietários a oferecer uma melhor qualidade de vida aos felinos. Miados, ronronadas ou ainda esfregar o corpo contra pernas são ações que têm significados importantes em seu comportamento. Confira:

    1. GATOS SÃO CARINHOSOS E AFETUOSOS COM SEUS DONOS.
    Esses animais são mais independentes emocionalmente do que os cachorros, mas isso não quer dizer que eles não demonstram afeto e necessitam de carinho. “Há vários modos do bichano demonstrar que quer receber um cafuné ou apenas que gosta da pessoa. Além de passar entre as pernas, raspando o corpo e calda, um sinal claro é quando esfregam a cabeça em alguém. Ao fazer isso, liberam feromônios, provenientes de uma glândula presentes na cabeça”, explica a veterinária.

    2. GATOS POSSUEM IMPRESSÃO DIGITAL.
    Assim como os humanos, cada gato é único e tem uma marca que distingue uns dos outros, como a impressão digital. “No focinho há um desenho específico, que apenas aquele animal possui. Também é possível verificar a ‘impressão digital’ por meio dos coxins (almofadinhas das patas), mas, com o tempo, essas marcas vão modificando de acordo com o ambiente que o gato costuma passear”, afirma Andressa.

    (Foto: Reprodução / Freepik) 


    3. A AUDIÇÃO DO GATO É MAIS APURADA QUE A DO CÃO.
    Os felinos são predadores, no geral, de hábitos noturnos ou ao amanhecer e entardecer. Por essa razão, possuem sentidos muito apurados e, com os gatos, especificamente, não poderia ser diferente. “Os gatos conseguem ouvir sons mais baixos do que os cachorros. Enquanto os humanos podem escutar barulho em torno de 20 mil Hz, os bichanos têm capacidade auditiva de até 50 mil Hz. Além disso, eles conseguem mexer cada uma das orelhas independentemente da outra. No total, são 32 músculos, permitindo o foco em sons distintos e a localização e a distância exatas do ruído”, revela a especialista. Outra curiosidade é que gatos com pelagem branca e olhos azuis são mais propensos a desenvolverem problemas auditivos. “Esses animais carregam um gene que aumentam as chances de ficarem surdos o perderem a audição. Por isso, é importante realizar acompanhamento com veterinário e tentar adestrá-los, desde pequenos, com comandos por meio de sinais, para minimizar os impactos de uma possível surdez, caso venha a desenvolvê-la”, ressalta Andressa Felisbino.

    4. GATOS TEM MAIS DEDOS NAS PATAS DIANTEIRAS DO QUE NAS TRASEIRAS.
    Os bichanos têm, no total, 18 dedos e não 20, como os cães. As patas dianteiras possuem cinco dedos e um deles exerce uma função bastante importante: dar mais firmeza para segurar a presa e para escalar. “O ‘polegar’ é chamado de ergot e ajuda o felino na hora das brincadeiras, para atacar o ratinho de pelúcia ou para subir o arranhador”, esclarece a veterinária.

    5. GATOS NÃO TÊM 7 VIDAS.

    A maior lenda de todas pode não ser verdade, mas intriga muitas pessoas até hoje. É muito comum ver um gato escapando ilesos de situações de extremo perigo, como uma queda muito alta. “Isso ocorre, porque seu senso de equilíbrio é bastante apurado, o que lhes permite movimentação rápida, girando o corpo sobre as quatro patas rapidamente. Seus reflexos são muito mais rápidos que os dos humanos, por conta de seu sistema vestibular (conjunto de órgãos do ouvido interno que cuida do equilíbrio)”, finaliza a especialista.

    Casinhas de cachorro criativas

    Todo cachorro precisa de um espaço pra chamar de seu. Pode ser uma casinha ou uma caminha em um local confortável. O importante é que ele precisa do próprio espaço.
    Você pode adequar o modelo da caminha ou da casinha para combinar com a decoração da sua casa. Essas ideias são super criativas e originais. Inspire-se.

















    E se você quer criar um espaço bacana e aconchegante para o seu cachorro, gastando pouco, veja a nossa dica!



    Fonte: Catraca Livre / Pinterest

    2 aplicativos que ajudam você a cuidar do seu pet

    Grande parte das dimensões da vida humana é hoje abarcada pela tecnologia eletrônica. Naturalmente, tarefas dos mais diversos tipos acabam também ganhando complementos, que colocam em xeque a forma com que determinadas ações podem ser executadas. E é claro que a vida dos bichinhos de estimação não poderia ficar de fora desta nova onda.


    Que tal então estreitar os laços com seu amigo cão ou gato? Neste post, citamos dois aplicativo que podem facilitar no tratamento de animais. Confira!


    1 – Pet Phone (pago para iOSAPK para Android)



    Este aplicativo permite a criação de uma ficha completa sobre cada um dos seus bichinhos. Seu gato ou cachorro tomou aquela medicação recomendada pelo veterinário? Anote! Crie históricos das atividades dos animais, inclua nos registros de cada um deles fotos, tipo de raça, peso e altura e tenha às mãos um cadastro recheado de informações.




    2
     – MyPets – Pet Manager (gratuito para iOS)



    Assim como o Pet Phone, esta extensão também tem como principal proposta melhorar a organização de informações sobre os bichos de estimação. Mas o diferencial de MyPets está em seu idioma-padrão: por ser todo em português, uma navegação tranquila pode ser feita por qualquer usuário. Armazene dados como números de telefone de veterinários e quantidades de vacinas tomadas com este útil aplicativo em seu iOS.



    Fonte: Tecmundo

    Pets precisam de produtos específicos para cada raça?


    Você já ficou em dúvida na hora de comprar produtos no pet shop? Não soube diferenciar qual seria a melhor opção para o porte e raça do seu pet? O médico veterinário e fundador da Petlove, Márcio Waldman, esclarece alguns mitos e verdades sobre itens que retratam os animais nas embalagens, mas não significam que são específicos para ele.


    (Foto: Reprodução / Google)


    “Hoje, os produtos no segmento pet mais customizados por raça são as rações. Isso porque, além do tamanho do pet, que varia pela parte anatômica, tem todo um tratamento de nutrientes nas rações que é diferenciado de uma raça para outra. Por exemplo, para os Goldens, que têm uma tendência à obesidade, as rações são produzidas com menor taxa de gordura e carboidratos. A ração específica para a raça Yorkshire, que tem uma pelagem característica, recebe uma quantidade maior de componentes para estimular a beleza e a lanosidade dos pelos”, explica Waldman.

    O que precisa ficar claro na hora da compra é que as rações são o grau máximo de produtos customizados, em seguida vem produtos de higiene, medicamentos e acessórios em um grau menor.


    (Foto: Reprodução / Google)


    Fique atento às orientações

    Produtos de higiene não têm uma indicação para cada raça, apenas existem funções variadas. Então, se for preciso comprar um produto desse tipo, não há necessidade de procurar de acordo com determinada raça e, sim, relacionar com o objetivo do uso.

    Se alguém te orientar sobre algum item dizendo que ele funciona melhor para o seu pet, esse direcionamento está baseado na experiência dessa pessoa, pois, como foi dito, não há customização na maioria dos produtos. O que pode ser encontrado são produtos restritos para tratamentos, como o caso de alergias.

    Petlove

    7 vezes que seu cão disse ‘te amo’ mas você não percebeu

    Os cães não falam, mas alguns gestos valem mais do que palavras!
    Muitas atitudes parecem normais e corriqueiras no cotidiano, mas são maneiras variadas dos cachorros demonstrarem o amor que sentem por seus tutores.


    Veja 7 vezes que seu cão disse “te amo” mas você não percebeu:

    1. Ele te trouxe aquele brinquedo roído e fedorento, mas que é o preferido dele – Provavelmente, você pensou que seu cachorro estava apenas querendo brincar, não é? Em muitos casos, é isso mesmo. Mas, às vezes, ele pode estar te oferecendo um presente.
    2. Ele terminou de jantar e deitou ao seu lado – Quando um cachorro gosta de se aconchegar no tutor mesmo estando com a barriga cheia, é um sinal de amor verdadeiro. Isso significa que ele não se interessa por você apenas por causa da comida.
    3. Ele boceja logo depois de você – Esse fenômeno de bocejo contagioso é um sinal de empatia entre os humanos. E um estudo comprovou que nossos cães também fazem isso.
    4. Ele continua deitado e mal levanta a cabeça quando você sai pra trabalhar – Você pode até pensar que o cachorro não se importa, mas isso demonstra que ele confia em você e sabe que vai voltar.
    5. Empolgação quando você chega em casa – O momento da chegada costuma ser bem diferente, o cão não consegue conter a alegria de ter sua companhia novamente.
    6. Ele deita no meio da sua cama e ocupa todo o espaço – Isso demonstra que o cão quer ficar perto de você e um grande símbolo de lealdade. Quer dizer que ele te considera como parte da matilha.
    7. Saboreia cada segundo de amor que você dá para ele – Quando você dá carinho e atenção, seu cachorro adora.

    Referência: Bark Post